A Luz dos Aboim

24/03/2012

Desolação

Filed under: SLB — Etiquetas:, , — Carlos @ 15:55

20120324-134234.jpg

Exibição pobre da nossa equipa, ontem, em Olhão, que redundou num empate a zero.

Não gostei da arbitragem do lisboeta Capela nem do antijogo praticado pelo Olhanense mas não foi por esses motivos que não conseguimos vencer.

Dominámos durante toda a partida, mesmo quando ficámos reduzidos a 10 unidades, por expulsão de Aimar, e tivemos muito mais posse de bola do que o adversário.

Não tivemos muitas oportunidades de golo (rematámos pouco) mas desperdiçámos incrivelmente aquelas de que dispusemos. A ineficácia do nosso ataque foi exasperaste.

Os jogadores do Benfica têm de se empenhar mais no jogo do que ontem fizeram! Não rematámos nem pressionámos como devíamos. Inexplicavelmente não mostrámos vontade de querer resolver o jogo logo no início.

Esperava melhores opções de JJ. É inadmissível não vencer em Olhão pelo terceiro ano consecutivo.

Fiquei desoladíssimo com o resultado mas ainda não dou por perdida a conquista do Título. Claro está que atingir esse objectivo ficará muito mais complicado, se os nossos directos adversários ganharem nesta jornada.

Na próxima terça-feira temos jogo com o Chelsea para a Liga dos Campeões. Espero que a equipa aproveite a ocasião para limpar a pobre imagem que nos deixou ontem.

Anúncios

2 comentários »

  1. Jogo fraco. Aparentamos não ter soluções criativas para dar a volta a resultados menos positivos. Se não marcamos cedo, ficamos com imensas dificuldades e acabamos, algo deseperados, a colocar em campo avanaçados e mais avançados. Sem que isso se traduza numa melhoria atacante…

    Este é, precisamente, um dos grandes problemas com que nos temos deparado, nos últimos jogos fora de casa, para o Campeonato. Se o jogo atinge os 60 minutos e nós ainda não estamos a vencer, o cansaço físico e a falta de ideias para contornar as defesas adversárias tornam-se o nosso principal problema.

    Em Guimarães, apanhando-se a perder, o JJ colocou em campo um batalhão de avançados. Consequência: perdemos o jogo ao nível do meio-campo e nunca mais conseguimos criar perigo. Em Coimbra, com a necessidade de marcar para desfazer o empate, o JJ voltou a colocar em campo um batalhão de avançados, Consequência: a mesma, perda de controlo do jogo, da posse de bola e ausência de jogadas perigosas a partir desse momento. Em Paços de Ferreira, a perder desde a meia-hora, demos a volta ao jogo e acabámos a vencê-lo em dois lances de rasgos individuais, apesar de o JJ ter insistido na mesma teoria desesperada de colocar o batalhão de avançados, sem que daí se tivessem tirado dividendos.

    O que isso tem trazido na prática é a quebra da equipa em dois blocos, sendo que o primeiro (defesas) está muito recuado e o segundo (atacantes) está demasiado subido no terreno. A única ligação que acaba por existir entre os dois blocos é o Maxi. E não podemos estar dependentes unicamente do Maxi para levar a bola até ao ataque, ou dependente dos passes de 40 metros do Luisão. Alguém deveria dizer ao JJ que colocar tantos avançados em campo não é sinónimo de ser mais atacante! Se a bola não chegar lá, não servem para nada! Quantas vezes tocaram o Saviola ou o Rodrigo na bola? E o Cardozo ou o Nélson na parte final do jogo? Zero.

    Compreendo que possa não haver muitas alternativas no nosso curto plantel (conforme os problemas para os quais temos vindo a alertar desde o início da época), mas não adianta ter 4 avançados todos na mesma linha de posicionamento. Nem que se recuasse ligeiramente o Rodrigo ou o Saviola para virem buscar jogo, ligar os dois blocos da equipa e arrastar consigo os defesas adversários.

    Caracterizo este jogo da seguinte forma:
    – falta de eficácia em três ou quatro situações flagrantíssimas de golo;
    – falta de força física para ultrapassar as adversidades;
    – falta de inventividade e criatividade para ultrapassar a colocação defensiva de uma equipa fraca mas competente;
    – uma arbitragem habilidosa, com as faltas a serem marcadas sempre para o mesmo lado e uma dualidade de critérios absurda;
    – uma completa nulidade ao nível das opções técnicas e tácticas do JJ para reagir a tudo isto.

    Também não deixei de acreditar, mas está muito difícil.

    Venha o Chelsea. Viva o Glorioso!

    Comentar por BLA — 24/03/2012 @ 16:44

  2. Venha o Chelsea!

    Não ganhámos em Olhão, mas os nossos adversários directos também não, por isso não foi com este jogo que perdemos vantagem para o primeiro lugar.

    Jogámos mal, falhámos golos, não temos no banco ninguém para dar ideias ao meio-campo (!) e aquela expulsão que eu não entendo acabou com a pouca criatividade com que estávamos.

    Era preciso ganhar e não ganhámos, mas há-que partir para o próximo. Neste preciso momento ganhámos um ponto aos nossos dois adversários directos. Agora é esperar para ver o que eles fazem!

    Vida o Glorioso!

    Comentar por kravi — 25/03/2012 @ 16:50


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: